No Bairro do Aleixo

segunda-feira, junho 20, 2005

CampinGaz.

Nos dias quentes deste verão as actividades do Bairro fazem-se ao ar livre, quase sempre ao fim da tarde quando a temperatura baixa e o vento começa a soprar.
No pedaço de terreno em frente à Torre Um reúne-se todos os dias um grupo de clientes habituais. Instalaram um grelhador, uma mesa e alguns bancos. Um trouxe um baralho de cartas e passam algumas horas a jogar, à espera que o Pirolito abra a loja, à espera que aconteça alguma coisa melhor.
Ocasionalmente aparece alguém com umas fêveras pedidas no talho lá em cima ou com alguns peixes que sobraram do negócio de uma peixeira. Cortam alguns ramos de uma árvore e fazem um braseiro agradável.
O Vinagre conseguiu roubar um CampinGaz a alguém, ‘lá em cima, perto de Bessa Leite’. É a novidade do dia. À noite serve para dar luz e sinalizar a presença da polícia, quando é caso disso. Quando está tudo calmo, serve de isqueiro colectivo para os membros do grupo. São pelo menos oito. Todos clientes habituais e com morada quase permanente em frente à primeira torre. Sentam-se no chão e estendem as colheres para a chama. A preparação da sopa tornou-se um ritual partilhado. Aquecem as colheres, puxam o êmbolo da seringa, procuram uma veia mais visível, injectam-se. Ficam a olhar as estrelas ou a lua e a pensar na noite de S. João. Fumam um cigarro quando há.
O Filipe tentou usar a chama do CampinGaz para fumar heroína da prata. Queimou as pontas do cabelo e dos dedos e ficou sem a prata. Também não dá jeito para cachimbos.
O Vinagre encarrega-se todos os dias da manutenção do aparelho. ‘Nunca ninguém se tinha lembrado disto. Agora é indispensável. A malta está junta e conversa mais uns com os outros, ‘tás a ver?’ Quando o gás acaba ele trata da substituição.
É provavelmente o primeiro gesto de solidariedade gratuita entre os clientes do Bairro. No verão quente de dois mil e cinco.

4 Comments:

  • Cá está o famoso campingaz.

    By Anonymous Anónimo, at 4:15 da tarde  

  • Eh pá nessa eu não acredito...
    Tenham lá paciencia, primeiro fumar na prata com vento e sobre um campingaz??? Hã????
    e depoia como se vira um campigaz sobre um caneco hem ???

    Isso é impossivel mesmo no Aleixo, se fosse possivel a malta em vez de isqueiros , andava sempre com uma fogão às costas ...

    By Anonymous Jeremias, at 10:02 da tarde  

  • Jeremias,

    Tens razão. Não é para acreditar. Mas olha que o vento no verão não é assim tão forte e o campingaz aguenta-se. Depois, como se pode ler, a tentativa de fumar na prata não resultou e também se diz que o campingaz não serve para cachimbos (ou canecos).
    Andas a ler na diagonal ou é a concentração que já começa a vacilar? Ai os canecos, os canecos!!!!

    hs

    By Anonymous Anónimo, at 6:58 da tarde  

  • Tens razão - é o que o jeremias nada a ser vitima do apagão nacional e da falta de energia, e da seca e da cera natural...

    Mas Voces já tomaram noção do que provocaram com os V. comentarios - já viram agora a vida do merceiro de Santa catarina?

    a partir de agora tem ke por nos post um aviso - para sua segurança não exprimente em casa ... nem na mercearia -

    By Anonymous Jeremias, at 4:02 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home